Oficinas

OFICINA DE TEXTOS

Professora Drª Priscila Rossinetti Rufinoni

O que é escrever um bom texto? Como dar conta de expor um conceito, um objeto, a partir de uma trama discursiva? Mais que um mero método para escritas padronizadas, cuja cientificidade se oferta de antemão em uma forma prescritiva, escrever pode ser o próprio exercício filosófico de expor conceitos e objetos. Na era dos paper autoexplicativos, dos artigos pré-formatados, facilmente traduzíveis para a língua comum da internacionalização mercadológica,  essa oficina não visa ensinar truques e fórmulas para escrever “academicamente bem”. A oficina não quer ensinar o certo ou o errado, as normas de uma padronização qualquer. Não visa informar sobre o que se deve ou não fazer para ser aceito pelos pares da comunidade científica mais próxima. Mas quer pensar o que faz de um texto uma construção conceitual; tessitura única, de difícil tradução, na qual tanto a historicidade de cada idioma, como a universalidade filosófica, interpenetram-se e completam-se.

Bibliografia sugerida:

ADORNO, T. “O ensaio como forma”.  In: Notas sobre literatura. São Paulo: Editora 34, 2003. O ensaio como forma

GARCIA, Othon. Comunicação em prosa moderna. Rio de Janeiro: Getúlio Vargas, 1986. Comunicação em prosa moderna

MATTOSO CAMARA JR, J. Manual de expressão oral e escrita. Petrópolis: Vozes, 1999.

PESSOA, Fernando. A Língua portuguesa. São Paulo: Cia das letras, 1999.

POSSENTI, Sírio. Por que (não) ensinar gramática na escola. Campinas: Mercado de Letras, 1998. Por que (não) ensinar gramática na escola

Anúncios